fbpx

Assessoria Pedagógica Itinerantes (API)


Instituição executora: Consejo Nacional de Fomento Educativo (CONAFE)

País: Mexico

Fonte: OECD

Período de execução: 2008 – en curso

Plataforma de Prácticas Efectivas:
Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/orgsummaedu/public_html/wp-content/themes/summa/single-mapa.php on line 348

Desafios

Criar ambientes que permitam as comunidades escolares em situação de maior vulnerabilidade, construir seu próprio conhecimento e melhorar seus níveis de aprendizagem

Solução

Um programa de assessoria para professores comunitários, tutorias para alunos com dificuldades e de incentivo a participação comunitária.

Resultados

Diminuíram em 10 pontos percentuais os alunos de nível baixo em espanhol e em 20%, em matemática. Aumentaram a compreensão da leitura, a autoestima e o interesse das crianças com relação ao futuro.

No âmbito do “Novo Modelo de Educação Comunitária” impulsionado pelo Conselho Nacional de Incentivo à Educação (CONAFE), foi implementado uma fase exploratória do programa Assessoria Pedagógica Itinerantes (API) no Guerrero, durante os anos 2008 a 2009.
A API é uma intervenção de assessoria pedagógica integral que inclui apoio aos docentes, aos alunos e à comunidade, com foco nas comunidades rurais marginalizadas e que apresentam altos graus de vulnerabilidade.
A estratégia API está na promoção do trabalho colaborativo em todas as escalas, reconhecendo o papel central do sujeito na construção do conhecimento. Mais atividades práticas são propostas, tais como mais apoio individual com feedback permanente, discussão horizontal e metacognição centrada na matemática e leitura.
Todas as atividades se baseiam no Assessor Pedagógico Itinerante, que se encarrega de implementar, monitorar e reportar o progresso do programa diante do CONAFE. Os assessores devem ser graduados por uma universidade nacional em cursos de Educação ou relacionados; e devem contar também com alguma experiência em escolas rurais complexas.
O Assessor Pedagógico Itinerante assiste as aulas com o objetivo de diagnosticar a situação inicial e identificar as crianças com dificuldades. Os resultados servirão posteriormente para definir juntamente com o professor, uma estratégia de intervenção centrada nas crianças identificadas.
As famílias são encorajadas a participar ativamente, propondo atividades, medidas e soluções importantes. Para que sigam interessadas durante todo o processo, solicita-se que as famílias se organizem em uma Associação para a Promoção da Educação Comunitária (APEC). Desta forma podem definir suas próprias normas internas para monitorar o desempenho do programa. Como contrapartida da intervenção, a APEC tem que fornecer alojamento e alimentação ao Assessor.
A partir desta etapa inicial, resulta um plano de atividades pedagógicas bimestrais que inclui atividades recreativas, tutoriais individualizados e recomendações para ajudar os professores a atingirem suas metas. O Assessor está encarregado de incentivar a rede e informar os resultados ao CONAFE, por meio de informes mensais e anuais. Para isso, conta com um guia que explica claramente as etapas a seguir e uma planilha padronizada para o monitoramento.

O México tem conseguido melhorar seu nível de participação escolar nesses últimos 15 anos, com taxas de participação líquida em qualquer nível escolar, incrementando-se de forma contínua (UNESCO). Entretanto, a inscrição dos jovens no nível secundário e terciário fica abaixo das médias regionais e mundiais. Além disso, os resultados dos mexicanos de 15 anos de idade em matemática, leitura e ciência, se encontram no grupo dos países atrasados em comparação com as tendências mundiais (PISA, 2015).

Para reverter essa situação, o México assinou um convênio de cooperação com a OCDE com o propósito de reforçar a importância do papel dos docentes e apoiar uma liderança e uma gestão escolar de excelência. O convênio centra-se então, na melhoria do ensino e dos métodos de aprendizagem, com o objetivo de incrementar os resultados dos alunos mexicanos (“Acordo de cooperação México-OCDE para melhorar a qualidade da educação das escolas mexicanas”, 2010).

Por meio de um processo de monitoramento contínuo das atividades, os efeitos positivos do projeto-piloto sobre as habilidades dos alunos, sua autoestima e seu interesse pelo desempenho acadêmico futuro foram resgatados. Com respeito a suas habilidades, os resultados de Avaliação Nacional de Desempenho Acadêmico nas Escolas (ENLACE), revelam uma diminuição de 10 pontos percentuais das crianças no nível “insatisfatório” com relação à compreensão da língua, e em quase 20 pontos percentuais com relação à matemática.

Vale destacar que um dos fatores chaves do êxito dos API foi a inclusão viável de pais e famílias, por meio de associações APEC que permitiram incrementar significativamente o desempenho do Assessor da escola.

Enlace: https://www.gob.mx/conafe

Resumo: Ver informe

Documentos adicionais:

Tags:

Otros usuarios han visto

Vistas recientes