fbpx

Educação para compartilhar


Instituição executora: Asociación Mexicana para las Naciones Unidas de Jóvenes

País: Mexico

Fonte: GEII Harvard

Período de execução: 2007 - en curso

Plataforma de Prácticas Efectivas:
Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/orgsummaedu/public_html/wp-content/themes/summa/single-mapa.php on line 348

Desafios

Que as crianças se tornem conscientes sobre os grandes desafios dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, e proponham soluções para suas comunidades.

Solução

Atividades recreativas e desportivas que promovem a participação e consciência em torno dos direitos humanos e dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Resultados

As crianças participantes aumentaram significativamente suas competências, tais como o trabalho em equipe (+19%), a empatia (+12%), a prática de inclusão social (+7%) e a preocupação com problemas da comunidade. (+14%).

O Educação para Compartilhar é um programa cívico desenvolvido pela Associação mexicana para as Nações Unidas de Jovens e inspirado em um programa educacional canadense chamado “Sport in a Box”. A Associação trabalha estreitamente com escolas primárias e secundárias para sua implementação, e conta com vários patrocinadores, entre os quais se destacam AXA Seguros, HSBC, Comitê Cívico da Ford, entre outros.

O programa Educação para Compartilhar é o produto do trabalho de Dina Buchbinder e Yizreel Urquijo, dois empreendedores sociais mexicanos, que fundaram inicialmente o programa “Esportes para Compartilhar” em 2007. O caráter inovador da iniciativa reside no tratamento de grandes desafios do mundo – e o papel dos cidadãos – por meio de atividades recreativas. A pedagogia se baseia no esporte pensado como ferramenta que estimula valores e atitudes positivas a respeito da capacidade reflexiva das crianças. Baseia-se no princípio de envolver toda a comunidade educacional no processo, abrangendo tantos os professores como as famílias.

Sete valores articulam o programa e suas atividades: empatia, jogo limpo, igualdade de gênero, respeito, tolerância, responsabilidade e trabalho em equipe. Os programas educacionais formam o eixo central da intervenção, que se complementam com capacitações e consultorias a docentes em termos de pedagogia sistêmica. O eixo educacional se divide em 4 programas: “Esporte para compartilhar”, que permite que as crianças assimilem seus conhecimentos de forma vivencial sob a supervisão de um tutor. Começa com sessões lúdicas durante as quais se realiza uma viagem imaginária a um país onde é relevante algum Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), seguido por atividades físicas. Posteriormente, um círculo de reflexão é organizado em que se convida os participantes a criticar, propor e atuar. Em ocasiões posteriores algum atleta renomado é convidado (“sessões de atletas embaixadores”) para que, por meio do exemplo, as crianças valorizem os hábitos de vida saudável. Em paralelo, as mães e os pais vivem as mesmas atividades que seus filhos. Finalmente, todos se graduam como embaixadores estratégicos para a continuidade e divulgação das aprendizagens obtidas.

No ano de 2010, fundou-se “Iniciativas para Compartilhar” como a segunda parte do programa, que se concentra principalmente em projetos que encorajam as crianças a desenvolver inciativas viáveis, relevantes e com impacto social por meio da ferramenta “Gerenciamento de Projetos”.

“Ciência para Compartilhar”, por outro lado, propicia a aprendizagem de matemática e sua relação com outras disciplinas, para que seja aplicada a vida cotidiana com soluções que resolvam temas de cuidado com o meio ambiente e a saúde.

No ano de 2000, celebrou-se o lançamento de agenda mundial de Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (OMD), em que os países se comprometeram em atuar ativamente em 8 linhas relacionadas ao bem-estar de todos. O esforço foi prorrogado até o ano de 2015 com a adoção de uma nova agenda focada no desenvolvimento sustentável por meio de 17 objetivos estratégicos, tais como a erradicação da pobreza, a promoção de uma educação de qualidade, a igualdade de gênero, entre outros. No âmbito desse esquema, a educação assume um papel fundamental, enquanto permite que as pessoas tomem consciência sobre seus novos desafios. A atenção deve centrar-se nas novas gerações, pois são o pilar por meio do qual novos desafios serão alcançados.

Desde o seu lançamento no ano de 2007, o programa Educação para Compartilhar atendeu 518.533 de crianças e capacitou 7.023 professores em todo o México. Por meio de entrevistas semiestruturadas com participantes, um sistema contínuo de monitoramento e avaliação das atividades, tem permitido mostrar que o maior impacto do programa se encontra no aumento das aptidões para trabalhar em equipe (+19%). Destacou-se também um aumento de 12 pontos percentuais na prática da empatia, 14% na preocupação pelos problemas da comunidade, de 10% na participação de atividades desportivas e de 7% na participação. Devido aos seus bons resultados, a Associação Mexicana para as Nações Unidas de Jovens, repetiu a experiência em outros países da América.

Enlace: http://educacionparacompartir.org/

Resumo: Ver informe

Documentos adicionais:

Tags:

Otros usuarios han visto

Vistas recientes